Trincas, Fissuras e Rachaduras: Identificação e Causas

02/02/2017 | Danilo Flausino

Trincas, Fissuras e Rachaduras: Identificação e Causas

Apareceu aquele risco na parede ou no teto, será que é uma trinca? É perigoso?

Pensando em tirar suas dúvidas, explicar a diferença entre estes problemas, as causas e quando se preocupar, preparamos este guia que vai te deixar por dentro deste assunto corriqueiro em residências e edificações em geral.

Geralmente é muito fácil identificarmos o que é um teto e uma parede, certo?

Quando utilizamos termos mais técnicos como as palavras: PILAR, VIGA e LAJE, pode ser que você leitor, não saiba ainda a diferença entre eles. Mas fique tranquilo! Explicarei rapidamente o que é cada um destes termos antes de darmos início ao nosso principal assunto, para entendermos melhor as variadas situações que podem acontecer.

Pilar, Laje e Viga

PILAR – é um elemento da estrutura da edificação que fica no sentido vertical, popularmente conhecido como coluna ou pilastra, que tem a principal função de receber cargas e distribuir as mesmas para as fundações. Pode ser do modo mais usual que é concreto armado (concreto + aço) ou ainda madeira, ferro, aço, etc.

VIGA – é um elemento da estrutura que dá uma sustentação horizontal para a edificação transmitindo as cargas para os pilares. Também pode ser de concreto armado, madeira, ferro, aço, etc.

LAJE – é também um outro elemento da estrutura, uma chapa plana e horizontal apoiada nas vigas e pilares que faz a divisão dos pavimentos, formando o famoso teto.

Bom, agora que já sabemos a diferença entre estes termos, vamos aprender a identificar a diferença entre fissuras, trincas e rachaduras.

Fissuras

Fissuras

As fissuras são muito comuns e bem superficiais! Elas atingem na maioria das vezes apenas o acabamento (tinta, massa corrida, gesso, pastilhas, azulejos, pisos, etc.). É bem fina e alongada não possuindo nenhum tipo de gravidade. Porém, é necessário e importante, o acompanhamento da mesma, observando se há alguma alteração nessas características, sendo que a fissura é o primeiro estágio de uma rachadura. Se não houver alterações, não há com o que se preocupar!

Trincas

Trincas

As trincas se diferenciam das fissuras, por serem mais abertas (variando de 1 a 3 mm), profundas e acentuadas. A identificação a olho nu já é mais fácil de uma certa distância por ser maior que a fissura, o que traz consigo uma maior preocupação, podendo contribuir com a ruptura dos elementos (pilares, vigas e lajes) e afetar consequentemente toda a estrutura da edificação. Por isso, atenção redobrada!

Rachaduras

Rachaduras

As rachaduras são o estágio final, onde a ruptura dos elementos é iminente. Possui abertura acima de 3 mm e sua identificação é clara e de longe, por ser bem mais aberta, profunda e acentuada que os casos anteriores, sendo possível a passagem de corrente de ar, água ou luz através dessa patologia. Em alguns casos, é possível também até a passagem do próprio dedo. Requer cuidado imediato por estar à beira da ruína!

Quais são as causas?

As causas podem ser diversas. Mas as mais comuns podem ser as listadas abaixo:

  1. Vibrações e trepidações;
  2. Utilização ou aplicação errada de materiais na hora da construção;
  3. Infiltrações ou vazamentos;
  4. Retirada de escoras e fôrmas de forma errada e/ou antes da hora em fase de obra;
  5. Cargas a mais das que foram calculadas pelo Engenheiro Civil;
  6. Acomodação dos elementos construtivos (movimentação ocasionada pelo assentamento da estrutura no solo);
  7. Variações de temperatura;
  8. Retração do material (redução do tamanho devido à perda de água no tempo da cura);
  9. Pilar, viga ou laje comprometidos.

Que as rachaduras são extremamente preocupantes, já sabemos. Mas quando se manifestam em algum dos três elementos estruturais (pilar, viga e laje), a preocupação é redobrada. As rachaduras nos elementos estruturais (pilar e viga) se manifestam em três possíveis direções: horizontal, vertical e inclinada; e saber identificar previamente alguma é de extrema importância. Abaixo estão listadas por ordem de gravidade:

Nas Vigas:

Horizontais:

Rachaduras em Vigas Horizontais

Raramente manifestam e na maioria dos casos não oferecem comprometimento a estrutura.

Verticais:

Rachaduras em Vigas Verticais

Surgem geralmente no meio das vigas (entre um pilar e outro) e são ocasionadas por excesso de carga

Inclinadas:

Rachaduras em Vigas Inclinadas

Ocasionadas também por excesso de carga, mostra que a viga está querendo se separar do pilar em que está apoiada. Se manifestam geralmente próximo a intercessão da viga com o pilar.

Nas Lajes:

Rachaduras em Lajes

Manifestam com frequência em apartamentos de último andar nas paredes devido a variação de temperatura, o que provoca a dilatação da laje. Podem ser ocasionadas também por excesso de carga e falta de resistência do material utilizado. Geralmente tem sua origem nos cantos e com o tempo vão para o meio da laje.

Nos Pilares::

Horizontais:

Rachaduras em Pilares Horizontais

Manifestam principalmente por questões de deslocamento no sentido vertical (recalque = afundamento do solo) de fundações ou quando possui alguma carga atuando fora do pilar.

Verticais:

Rachaduras em Pilares Verticais

Manifestam quando os pilares estão recebendo um excesso de carga, ou seja, carga a mais do que foi calculada pelo Engenheiro Civil.

Inclinadas:

Rachaduras em Pilares Inclinadas

São as mais preocupantes de todas citadas. Manifestam geralmente por afundamento do solo (recalque) o que ocasiona consequentemente a deformação da fundação do edifício.

Lembre-se sempre: Um acompanhamento profissional para identificar e tratar as possíveis falhas que ocasionam essa patologia, é sempre indispensável! Esperamos que tenha tirado suas dúvidas e tido uma boa leitura. Até a próxima!

Danilo Flausino
Reform